out 8, 2014 - Música    1 Comentário

‘Vem, morena’ no metrô do Rio

Veja que sorte. Hoje cedo peguei o metrô para chegar ao Centro do Rio, e três músicos entraram com seus instrumentos no mesmo vagão. Como se quisessem colaborar com o ‪#‎vivaopovonordestino‬ , cantaram “Vem, Morena”, do grande Luiz Gonzaga (veja o vídeo). São independentes, não faziam parte de nenhuma ação da concessionária. Lá estavam, além de batalhando o pão do dia, oferecendo o som que encanta. Todo mundo aplaudiu.

A música brasileira (não falo da que é cantada por brasileiros, refiro-me à música essencialmente brasileira, como a de Gonzagão) é ladra da tristeza, algoz da dor. Ao menos, pra mim. 


Vem, morena, pros meus braços
Vem, morena, vem dançar
Quero ver tu requebrando
Quero ver tu requebrar
Quero ver tu remexendo
‘Resfulego’ da sanfona
‘Inté’ que o sol raiar

Esse teu fungado quente
Bem no pé do meu pescoço
Arrepia o corpo da gente
Faz o ‘véio’ ficar moço
E o coração de repente
Bota o sangue em ‘arvoroço’

Vem, morena, pros meus braços
Vem, morena, vem dançar
Quero ver tu requebrando
Quero ver tu requebrar
Quero ver tu remexendo
‘Resfulego’ da sanfona
Inté que o sol raiar

Esse teu suor ‘sargado’
É gostoso e tem sabor
Pois o teu corpo suado
Com esse cheiro de fulô
Tem um gosto temperado
Dos tempero do amor
Vem, morena, pros meus braços…

Dos tempero do amor
Vem, morena, pros meus braços…

1 Comentário

  • Muito bom!

Tem alguma coisa a dizer? Vá em frente e deixe um comentário!

UA-53194424-1
UA-53194424-1